Investimentos

Investimento em Fundo de Renda Fixa

fundo de renda fixa

Quando se deseja investir com segurança e tranquilidade, é recomendado investir em fundo de renda fixa, especialmente em momentos de crise, uma vez que ele traz ótimas oportunidades para investidores mais conservadores poderem investir sem riscos e com mais proteção ao seu capital.

Para saber como funciona o investimento em fundo de renda fixa, é necessário entender melhor como funciona a própria renda fixa e depois partir para os fundos. Vamos lá? Confira abaixo!

O que é renda fixa?

Muitas vezes, usamos termos e conceitos tão simples em nosso dia a dia, mas não sabemos ao certo o que ele significa ou até como explicá-lo. Talvez esse seja o caso do fundo de renda fixa. Mas, antes de entender o fundo, precisamos conceituar o que é renda fixa e os seus títulos. O título de renda fixa é um tipo de investimento que apresenta um retorno ou uma remuneração de capital investido que é determinado na hora da aplicação ou no momento do resgate, ou seja, no fim da aplicação.

Logo, o investidor tem a possibilidade de já saber na hora da compra de algum ativo financeiro (aplicação) qual o valor que ele vai receber no fim do prazo. Esse valor pode ser tanto nominal quanto pela variação de um índice.

Na prática, é só pensar em cada título de renda fixa como um empréstimo. Portanto, cada vez que você compra um título, ou seja, investe, está “emprestando” dinheiro ao emissor do título (veremos a seguir que pode ser público ou privado). Os juros cobrados são a remuneração que você receberá por emprestar esse dinheiro.

Então, qual é a maior diferença entre investimento em renda fixa e investimento em renda variável? A variável não tem garantia de uma rentabilidade ou de um ganho de capital, podendo, inclusive, fazer o investidor perder dinheiro.

Como classificar as aplicações de renda fixa?

Os investimentos em fundo de renda fixa nada mais são do que aplicações em títulos de rendas fixas, os quais podem ser classificados:

  • Em relação ao tipo de emissor do título: entre públicos (do Governo) e privados (empresas);
  • Em relação à rentabilidade do título: em prefixados e pós-fixados.

Nos rendimentos prefixados, o investidor já conhece previamente a sua rentabilidade. Logo, a própria taxa de retorno de aplicação também já é determinada antes, ou seja, no momento da aplicação. Resumindo, o investidor já sabe quanto irá receber dentro de um ano = o valor investido + os juros.

Já nas aplicações pós-fixadas, acontece exatamente o contrário. Logo, só se tem ideia do valor do retorno (rentabilidade) da aplicação quando chega a data de vencimento. E outra: a rentabilidade também varia. Tudo depende das oscilações dos índices usados para medi-la.

Como funciona o investimento em fundo de renda fixa?

Para quem não está muito por dentro do mercado ou possui pouco dinheiro para realizar um investimento, os fundos são a opção mais recomendada. Eles são “meios” compostos por vários títulos de renda fixa e possibilitam uma maior e mais eficiente diversidade nas aplicações.

Essa diversificação é possível, pois, ao investir um determinado valor em um fundo de investimento, o investidor estará comprando uma participação dentro de uma carteira de investimentos. Logo, essa carteira inclui diversas aplicações simultâneas em renda fixa.

Por que a diversificação é importante? Ela diminui os riscos das aplicações. Dessa maneira, as perdas de uma aplicação podem ser recompensados pelos ganhos de outra. Por esse motivo, os fundos são considerados um “composto” de títulos e aplicações.

Existem modalidades de fundos?

Sim, existem três tipos. Confira:

  • O primeiro é chamado somente de fundo de renda fixa, em que no mínimo 80% do investimento deve ser aplicado em títulos privados ou públicos;
  • O segundo é chamado de “crédito livre”, no qual mais de 20% do investimento deve ser em aplicações de crédito de médio e de alto risco. Exemplo: debêntures;
  • O terceiro é chamado de “índices”, quando são utilizados indicadores (IPCA e Selic) para avaliar o desempenho da renda fixa. Logo, a carteira de investimentos terá títulos públicos ou privados que seguem esses índices de referência.

O fundo de renda fixa é uma excelente opção para quem deseja investir, mas tem pouco dinheiro ou ainda gosta de segurança e tranquilidade na hora de investir. Gostou dessa matéria? Então, navegue pelo nosso blog e conheça outras matérias interessantes como essa. Se quiser receber mais conteúdos, é só assinar a nossa newsletter.

Leave a Reply

Comodo SSL